ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - Padrões de prática clínica sobre o uso de sulfato de magnésio para tratamento de pré-eclâmpsia e eclâmpsia: um estudo em vários países

Padrões de prática clínica sobre o uso de sulfato de magnésio para tratamento de pré-eclâmpsia e eclâmpsia: um estudo em vários países



Caracterizar os padrões atuais de prática clínica em relação ao uso de sulfato de magnésio (Mg SO 4 ) para a prevenção e tratamento da eclâmpsia em uma rede multi-país de unidades de saúde e comparar com recomendações internacionais.

desenhar
Levantamento transversal.

Configuração
Um total de 147 unidades de saúde em 15 países na África, América Latina e Ásia.

População
Chefes de departamentos obstétricos ou maternidades.

Métodos
Pesquisa on-line e em papel anônima realizada em 2015.

Medidas de saída principais
Disponibilidade e uso de Mg SO 4 ; disponibilidade de um protocolo clínico formal para administração de Mg SO 4 ; e doses de Mg SO 4 para a prevenção e tratamento da eclâmpsia.

Resultados
O sulfato de magnésio e um protocolo formal para sua administração foram relatados como estando sempre disponíveis em 87,4% e 86,4% de todas as instalações, respectivamente. Mg SO 4foi usado para o tratamento de pré-eclâmpsia leve, pré-eclâmpsia grave e eclâmpsia em 24,3%, 93,5% e 96,4% de todas as instalações, respectivamente. Em relação ao tratamento da pré-eclâmpsia grave, 26,4% e 7,0% de todas as unidades relataram o uso de esquemas de dosagem compatíveis com os regimes de Zuspan e Pritchard, respectivamente. Em todas as regiões, os regimes de manutenção intramusculares foram mais comumente usados ??na região africana (45,7%) do que na América Latina (3,0%) e asiática (22,9%), enquanto os regimes de manutenção intravenosa foram mais utilizados na América Latina (94,0%). ) e asiáticas (60,0%) do que na região africana (21,7%). Padrões semelhantes foram encontrados para o tratamento da eclâmpsia entre as regiões.

Conclusões
O uso clínico relatado de Mg SO 4 para prevenção e tratamento da eclâmpsia variou amplamente e foi amplamente inconsistente com as recomendações internacionais atuais.

Fonte: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5697690/

VEJA TAMBÉM:



Texto Original



To characterise the current clinical practice patterns regarding the use of magnesium sulphate (MgSO 4) for eclampsia prevention and treatment in a multi?country network of health facilities and compare with international recommendations.

Design
Cross?sectional survey.

Setting
A total of 147 health facilities in 15 countries across Africa, Latin America and Asia.

Population
Heads of obstetric departments or maternity units.

Methods
Anonymous online and paper?based survey conducted in 2015.

Main outcome measures
Availability and use of MgSO 4; availability of a formal clinical protocol for MgSO 4 administration; and MgSO 4 dosing regimens for eclampsia prevention and treatment.

Results
Magnesium sulphate and a formal protocol for its administration were reported to be always available in 87.4% and 86.4% of all facilities, respectively. MgSO 4 was used for the treatment of mild pre?eclampsia, severe pre?eclampsia and eclampsia in 24.3%, 93.5% and 96.4% of all facilities, respectively. Regarding the treatment of severe pre?eclampsia, 26.4% and 7.0% of all facilities reported using dosing regimens that were consistent with Zuspan and Pritchard regimens, respectively. Across regions, intramuscular maintenance regimens were more commonly used in the African region (45.7%) than in the Latin American (3.0%) and Asian (22.9%) regions, whereas intravenous maintenance regimens were more often used in the Latin American (94.0%) and Asian (60.0%) regions than in the African region (21.7%). Similar patterns were found for the treatment of eclampsia across regions.

Conclusions
The reported clinical use of MgSO 4 for eclampsia prevention and treatment varied widely, and was largely inconsistent with current international recommendations.


VEJA TAMBÉM: