FATORES DE RISCO

Você está em - Home - Fatores de Risco

Fatores de risco em Pré-eclâmpsia


  • Histórico familiar de pré-eclâmpsia
  • Primeira gravidez
  • Nova paternidade, ou seja: cada gravidez com um novo parceiro aumenta o risco de pré-eclâmpsia
  • Idade, sendo que o risco é maior após os 35 anos
  • Gravidez múltipla
  • Intervalo de 10 anos ou mais entre as gestações
  • O Dr. Eduardo Boulhosa Nassar, além de investir em tecnologia de ponta, fez da Clínica Som Diagnósticos uma das mais modernas clínicas de diagnósticos por imagem de Belém.

    VEJA TAMBÉM:

    Buscando ajuda médica

    Certifique-se de fazer as consultas pré-natais para monitorar sua pressão arterial. Contate um ou uma obstetra imediatamente ou vá para uma sala de emergência se você tem dores de cabeça, visão turva, dor severa no abdômen ou grave falta de ar.

    Como as dores de cabeça, náuseas e dores são queixas comuns da gravidez, é difícil saber quando novos sintomas são simplesmente parte de estar grávida e quando eles podem indicar um problema sério - especialmente se é a primeira gravidez. Se você está preocupado com os seus sintomas, avise o médico.

    Na consulta médica

    A pré-eclâmpsia, provavelmente, será diagnosticada durante um exame pré-natal de rotina. Especialistas que podem diagnosticar uma pré-eclâmpsia são:

  • Clínico geral
  • Ginecologista e Obstetra
  • Preparar-se para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça a uma pessoa que testemunhou a convulsão para te acompanhar
  • O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • É a sua primeira gravidez ou a sua primeira gravidez com o pai desse bebê?
  • Você já teve qualquer sintoma incomum ultimamente, tais como visão turva ou dor de cabeça?
  • Você já sentiu dor no abdômen superior, que parece não relacionada com os movimentos do bebê?
  • Você já teve a pressão arterial elevada no passado?
  • Você desenvolveu a pré-eclâmpsia em quaisquer gestações anteriores?
  • Você já teve complicações durante uma gravidez anterior?
  • Com quais outras condições de saúde que você está lidando?
  • Quais medicamentos ou suplementos você está tomando?
  • VEJA OUTROS:

    Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para pré-eclâmpsia, algumas perguntas básicas incluem:

  • Essa condição afetou meu bebê?
  • Em quais sinais prestar atenção e quando procurar ajuda médica?
  • Com que frequência será feito o monitoramento da gravidez e do bebê?
  • Que tratamentos estão disponíveis, o que você recomenda para mim?
  • Tenho outras condições de saúde. Como posso gerenciar tudo?
  • Preciso fazer quaisquer restrições de atividade?
  • Você tem algum material impresso que eu posso levar? Quais sites você recomenda?
  • Além das perguntas que você preparou, não hesite em fazer perguntas que lhe ocorrem durante a consulta.